Brasão da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul

Barbosinha cobra modernização da rede de energia para atender famílias da área rural

Imagem:
14/03/2019 - 13:10 Por: Luciana Bomfim   Foto: João Garrigó

A carência de eletrificação rural constitui um dos principais problemas do sistema elétrico brasileiro. Em Mato Grosso do Sul o cenário não é diferente na avaliação do deputado estadual Barbosinha (DEM-MS) que cobrou mais uma vez, na sessão desta quinta-feira (14), investimentos e melhorias para o campo por parte da Energisa Mato Grosso do Sul.

“A falta de luz no campo tem sido constante, tivemos conhecimento de relatos de que pelo menos três quartos dos dias da semana as pessoas ficam sem o serviço. São inúmeras reclamações”, contou o deputado ao dizer que extraiu compromisso da concessionária em investir na eletrificação rural durante a audiência pública da ultima terça-feira, 12 de março.

A situação precária desse abastecimento foi um dos pontos de discussão na audiência, presidida e proposta por Barbosinha. O deputado lamentou a situação atual e mostrou-se preocupado com os índices de famílias que estão exclusas do recebimento de energia elétrica no Estado ou que mesmo tendo o serviço, recebem a energia em redes precárias e nada modernas.

“É uma lastima hoje o atendimento ao setor rural. Precisamos ter da Energisa um compromisso assumido em restabelecer o atendimento e renovação da rede rural, tão depauperada. Estes consumidores precisam ser tratados como iguais e essas pessoas representam um setor importante da economia”, finalizou o parlamentar ao lembrar que Mato Grosso do Sul tem economia baseada no agronegócio e, portanto possui um grande número de pessoas que residem no campo.

A chegada de energia de qualidade pode possibilitar a agricultores e pecuaristas uma melhora significativa na qualidade de vida e produção na área rural, acredita Barbosinha. “Seria uma grande conquista para quem tira seu sustendo do campo ter, com luz de qualidade, todo desenvolvimento necessário para o setor produtivo”, ponderou o parlamentar.

De acordo com o presidente da Energisa Mato Grosso do Sul, Marcelo Vinhaes, em 2019 serão investidos R$ 240 milhões, sendo o foco principal a recuperação e a melhoria das redes oriundas das incorporações de redes rurais.

Durante a audiência, Vinhaes reforçou que a concessionária está desenvolvendo projetos que visam melhorar a qualidade da rede que atende as famílias que vivem no campo. Atualmente a concessionária é responsável pela distribuição de energia elétrica em 74 dos 79 municípios do estado. Para iniciar os seus serviços no MS a Energisa adquiriu concessão que vinha de processo de recuperação, e um plano de investimentos foi traçado para recuperação de todo atendimento.

Retorno da Audiência

O deputado fez um balanço da audiência pública desta semana durante pronunciamento no Grande Expediente. Ele reiterou que o discurso entre a Casa e a concessionária deve ser sempre feito de forma plural e democrática. “Vamos continuar avaliando as explicações dadas pela Energisa até que todos os dados sejam esgotados. Isso será determinante para os próximos passos. Até que a população entenda e compreenda como é formada sua conta de luz e não fique com dúvidas com os valores que estão sendo pagos”, disse Barbosinha.

O deputado falou que estas reuniões na Casa, para coletar informações e explicações, são a melhor forma de fornecer respostas aos questionamentos da sociedade sul-mato-grossense  e que baliza a atuação parlamentar dos deputados na Assembleia. Sem descartar a possibilidade de se instaurar Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar irregularidades, se encontradas. Barbosinha se mostrou satisfeito, até o momento com as elucidações apresentadas. “Não podemos propor uma CPI somente para satisfazer interesses pessoais, este é um passo que deve ser tomado com base nos fatos concretos e até aqui a concessionária tem se proposto a colaborar”, finalizou.

 

As matérias no espaço destinado à Assessoria dos Parlamentares são de inteira responsabilidade dos gabinetes dos deputados.