Brasão da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul Brasão da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul

Trabalho de coleta de medidores será adiado por conta do risco de contágio pelo COVID-19

Imagem:
20/03/2020 - 09:04 Por: Assessoria de imprensa   Foto: Assessoria de imprensa

Respeitando as orientações oficiais de segurança sanitária, a CPI Energisa decidiu suspender temporariamente os trabalhos de recolhimento dos 200 medidores de energia para a perícia técnica. A data de retorno aos trabalhos de campo ainda não foi definida pelos membros da Comissão.



"Eu quero agradecer a população, aos assessores e aos colaboradores da Energisa que se empenharam nos trabalhos de recolhimento dos medidores de energia e, principalmente, aos cidadãos que nos autorizaram a retirada e substituição dos equipamentos. Porém, diante da necessidade de cautela em razão do COVID-19, resolvemos suspender os trabalhos, resguardando a saúde dos membros envolvidos na ação. Ainda não definimos a data de retorno às atividades em campo, mas tão logo informaremos o novo cronograma", explica o deputado estadual, Capitão Contar (PSL), relator da CPI Energisa.



O parlamentar explica que, nesta quinta-feira (19), foram 14 equipes para as sete regiões urbanas da Capital Morena para fazer o trabalho de campo, recolhendo, em apenas dois dias, 93 medidores de um total de 200 que deverão ser periciados.



Todos contra o COVID-19



Em Mato Grosso do Sul, há nove casos confirmados de coronavírus e já foram registrados 171 notificações de casos, sendo que 123 casos foram desconsiderados para COVID-19. Destes, 11 foram excluídos por não se encaixarem na definição de caso suspeito do Ministério da Saúde. Já 112 foram descartados após os exames acusarem resultado negativo para COVID-19.



Para tentar diminuir o contágio da doença, o Estado tem adotando medidas preventivas para redução de pessoal: concessão de férias aos servidores, exceto área de saúde e bombeiros, revezamento de turnos, restrições do atendimento presencial ao público, sendo substituído por contato por meio do telefone ou virtual.



Na quinta-feira (18), a Prefeitura de Campo Grande anunciou situação de emergência para a saúde pública e recomendou o fechamento, por 15 dias, de shoppings, academias de ginástica, parques de lazer e restrição de 30% no horário de atendimento de bares e restaurantes.



O documento também evita a realização de eventos com mais de 50 pessoas em estabelecimentos privados. São citados igrejas, cinemas, museus, teatros, bibliotecas e centros culturais.



Para tentar combater o contágio, a ALMS (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul), suspendeu seu funcionamento até o dia 2 de abril só funcionando internamente os serviços essenciais. Atualmente, a Casa de Leis possui em seu quadro 1.100 funcionários e passam por lá, em torno de 50 mil pessoas todo mês.

 

As matérias no espaço destinado à Assessoria dos Parlamentares são de inteira responsabilidade dos gabinetes dos deputados.