Brasão da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul
ALEMS no combate ao Coronavírus

Sensível ao luto na pandemia, ALEMS enviou, neste ano, 38 Moções de Pesar

Imagem: Graças à iniciativa dos parlamentares, ALEMS demonstra respeito e gratidão às famílias
Graças à iniciativa dos parlamentares, ALEMS demonstra respeito e gratidão às famílias
17/03/2021 - 12:10 Por: Osvaldo Júnior   Foto: Aline Kraemer

As palavras abraçam. E, em tempos de despedidas incompletas, esse abraço se torna ainda mais necessário. É com essa sensibilidade que os deputados, com Moções de Pesar, dizem às famílias enlutadas: “nós nos importamos com sua dor”. Apenas neste ano, a Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (ALEMS) aprovou pelo menos 38 Moções de Pesar destinadas a pessoas que perderam alguém para a Covid-19. É uma forma da Casa de Leis demonstrar respeito a quem a pandemia impediu o último adeus.

Desde o início da pandemia, os parlamentares têm emitido mensagens de condolências aos amigos e familiares das vítimas da Covid-19. Neste ano, da primeira semana de fevereiro, quando foram retomadas as atividades parlamentares, até o momento, foram apresentadas 38 Moções de Pesar, o que equivale à média de cinco proposições desse tipo a cada duas sessões. A quantidade também corresponde a 42% das 90 Moções de Pesar apresentadas no período.


Paulo Corrêa afirma que as moções demonstram respeito 

Esses números, que ajudam a dimensionar a importância dada pelos deputados ao sofrimento causado nesta época de pandemia, relacionam-se a algo, infinitamente, mais relevante: a vida. Em cada Moção de Pesar, a ALEMS levou mensagens de carinho, de solidariedade, de respeito às vidas dos que partiram e às dos que choram essas perdas.

Para o presidente da ALEMS, deputado Paulo Corrêa (PSDB), além de demostrarem o respeito pelas famílias enlutadas, as moções também expressam gratidão às pessoas que faleceram. “Sem dúvida, não é uma moção apresentada com satisfação, mas sim carregada de consternação e pesar”, afirmou o parlamentar. “É uma forma de demonstrar, além do respeito aos familiares, nossa gratidão e reconhecimento ao legado deixado pelas vítimas da pandemia. É o Legislativo estadual, que representa a população de Mato Grosso do Sul, externando à família uma última homenagem”, acrescentou.

Nas moções apresentadas pelos deputados, são rememoradas pessoas que, há alguns dias ou semanas, viviam rotinas engendradas pela pandemia, como todos que continuam imersos nessas mesmas rotinas. Entre essas pessoas, estão um fotojornalista, uma bióloga e professora, uma auxiliar de limpeza, um taxista, um barbeiro, um dono de conveniência, um pecuarista, um médico, um advogado, e tantos outros pais, mães, avós, filhas, filhos.

“As mensagem lembram à pessoa que sofre que ela não está sozinha”, diz psicóloga


Mariela fala sobre o processo de luto

Mensagens de pêsames, como é o caso das Moções de Pesar, são importantes no momento de luto. De acordo com a psicóloga Mariela Nicodemos Bailosa, o luto é um processo natural, que pode ser vivenciado com sentimentos de instabilidade, desamparo e confusão. “A pessoa também pode ter variações de humor, raiva, sentimento de culpa, solidão, desatenção, lapsos de memória, lentidão na fala e no pensamento, alterações no sono e alimentação”, lista a psicóloga. “Receber apoio, acolhimento e ajuda prática durante esse período fundamental de reorganização emocional é o diferencial para que a pessoa em sofrimento consiga elaborar esse momento”, afirma.

Com a pandemia, conforme nota Mariela, o processo do luto se tornou ainda mais complicado, devido à ausência de velórios e sepultamentos convencionais por necessidade de se reduzir os riscos de contaminação pelo coronavírus. “E isso com um agravante: em respeito às medidas de segurança de não aglomerar e manter distanciamento social, não há abraços, colo, visitas, presença física, olho no olho, o que pode tornar o luto ainda mais solitário”, comenta.

Nesse contexto, as palavras se fazem fundamentais. “Mensagens escritas, áudios, telefonemas, podem ser formas de demonstrar afeto, de se colocar disponível e ser presença”, diz a psicóloga. “Receber essas mensagens pode não ser o mesmo que ganhar um forte abraço, mas é um sinal de amparo, uma expressão que lembra à pessoa que sofre o quanto ela não está sozinha e que tem uma rede de apoio, escuta e afeto. Não estamos dizendo adeus da mesma forma em meio à Covid-19 e, infelizmente, isso ainda não tem data para acabar”, finaliza.

Para acessar a relação de Moções de Pesar a familiares de vítimas da Covid-19, clique aqui

Permitida a reprodução do texto, desde que contenha a assinatura Agência ALEMS.
Crédito obrigatório para as fotografias, no formato Nome do fotógrafo/ALEMS.