Brasão da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul
ALEMS no combate ao Coronavírus

No Dia do Doador de Órgãos, ALEMS celebra 15 anos do Banco de Olhos da Santa Casa

Imagem:
27/09/2021 - 20:09 Por: Heloíse Gimenes   Foto: Wagner Guimarães

O Banco de Olhos da Santa Casa de Campo Grande foi autorizado pelo Sistema Nacional de Transplantes em agosto de 2006 e se tornou referência em atendimentos oftalmológicos de urgência e emergência em Mato Grosso do Sul, sendo o único hospital no Estado a oferecer o serviço 24 horas pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Para celebrar os 15 anos de existência da instituição, a Assembleia Legislativa realizou na noite desta segunda-feira (27), sessão solene em homenagem às pessoas que ajudaram e contribuíram para a atividade e desenvolvimento da unidade de saúde.

A solenidade, proposta pelo deputado Renato Câmara (MDB), foi marcada pela entrega do Diploma de Honra ao Mérito, instituído pela Resolução 22/2021. O parlamentar ressaltou o trabalho realizado pelas equipes técnicas especializadas, que prezam pelo padrão de qualidade e garantem o serviço de excelência no processamento dos tecidos oculares. “Desde a sua criação, o Banco de Olhos representou um marco na história dos transplantes de córnea em Mato Grosso do Sul. Hoje, a Casa do Povo reconhece o importante trabalho de homens e mulheres que atuaram para que a instituição cumprisse sua missão”, afirmou.  


A solenidade ocorreu na noite desta segunda-feira, Dia Nacional do Doador de Órgãos

Foram agraciados com a honraria: Adriana Santos da Silva Bottaro, Alexandre Augusto Basso Fialho, Antonio Eduardo Pereira, Beogival Wagner Lucas Santos, Camila Karim Nakase Yamasato Tamashiro, Carolina Bernal de Lucena, Célia Cristina Moro Medina lopes, Christiana Veloso Rebello Hilgert, Cristiane Santos Bernardes, Daniela Barbosa Gemperli, Elimar Mayara de Almeida Menegotto, Esacheu Cipriano Nascimento, Evelyn Silvia Barbosa Meira, Fabiana Orondjian Verardo, Flávia Sotolani Silva Brito, Geraldo Resende Pereira, Gustavo Souza Gonçalves, Heitor Rodrigues Freire, Paulo da Silva, Janio Carneiro Gonçalves, José Augusto de Oliveira Botelho, Juracy Pereira da Paz, Luiz Alexandre Lani, Luiz Henrique Ferraz Demarchi, Marcos Rogério Mistro Piccinin, Marli Terezinha Micharki Vavas, Nelson Antônio da Silva e Irmã Silvia Vecellio Sai.   

“Nestes 15 anos, contribuímos com quase seis mil doações de córneas. Esse é um momento de muita alegria, acreditamos que vamos retomar a nossa rotina pós- pandemia e diminuir o tempo de espera na fila, que hoje soma 300 pessoas. Nosso anseio é retomar o status de fila zero para o transplante de córneas”, disse Cristiane Bernardes, diretora do Banco de Olhos.

O presidente da Santa Casa, Heitor Freire, agradeceu a homenagem do Parlamento Estadual. “O Banco de Olhos tem sido uma oportunidade de contribuirmos para melhorar a saúde de muita gente. Neste período, mais de quatro mil pessoas foram beneficiadas. Cuidar das pessoas e salvar vidas são os nossos objetivos. Agradecemos a todos os envolvidos e aos deputados por essa relevante homenagem”, disse o presidente.

Semana Estadual de Doação de Órgãos e Tecidos

A sessão solene encerra a programação da Semana Estadual de Doação de Órgãos e Tecidos, instituída pela Lei 5.410/19, de autoria do deputado Renato Câmara.


Câmara é autor da lei que criou a Semana Estadual de Doação de Órgãos e Tecidos

O mês chamado de ‘Setembro Verde’ surge em alusão ao Dia Nacional do Doador de Órgãos, comemorado, anualmente, em 27 de setembro. Em Mato Grosso do Sul, quase 500 pessoas estão na fila por um transplante de órgãos, sendo 300 pacientes à espera por uma córnea, 147 por um rim e quatro por um coração.

O Brasil é destaque mundial na realização de transplantes de órgãos. No entanto, a demanda é muito alta em razão de vários obstáculos, entre eles a dificuldade na obtenção do consentimento familiar e a falta de compreensão popular sobre morte encefálica. Somado a isso, a pandemia causada pelo vírus da Covid-19 reduziu os atendimentos, as equipes de transplantes, os insumos hospitalares e aumentou o receio, uma vez que o procedimento induz imunossupressão.

“Em Mato Grosso do Sul, 70% das famílias negam a doação de órgãos e tecidos de seus parentes após a comprovação da morte encefálica, segundo a Central Estadual de Transplantes. Por isso, são importantes campanhas de divulgação, como a Semana Estadual, para esclarecer à sociedade sobre a doação de órgãos e tecidos para transplantes”, destacou Câmara.

A gerente da Central Estadual de Transplantes de Mato Grosso do Sul (CET/MS), Celia Cristina Moro Medina Lopes, ressaltou que “para ser um doador, basta conversar com sua família sobre o desejo de ser doador e deixar claro que os familiares devem autorizar a doação de órgãos”. No Brasil, a doação só é feita após a autorização familiar.

Conforme o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Rezede, a busca pela sustentabilidade do sistema de transplantes é alvo de estratégia pública, visando garantir o acesso pleno da população a essa modalidade terapêutica. “Infelizmente, Mato Grosso do Sul está entre os Estado que menos transplantam e precisamos reverter essa realidade. O Governo pretende celebrar acordos e convênios com as instituições para avançar. Captar os órgãos e implantar em nossa gente é o nosso compromisso”, informou.

Permitida a reprodução do texto, desde que contenha a assinatura Agência ALEMS.
Crédito obrigatório para as fotografias, no formato Nome do fotógrafo/ALEMS.