Brasão da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul
ALEMS no combate ao Coronavírus

Palestrante aborda estratégia para alavancar campanha eleitoral

Imagem: Gisele Meter destacou o papel das redes sociais e a importância da aproximação digital no mundo pós-pandemia
Gisele Meter destacou o papel das redes sociais e a importância da aproximação digital no mundo pós-pandemia
25/11/2021 - 18:55 Por: Aline Kraemer/Unale   Foto: Walciney Xavier de Souza/Assembleia Amazonas

“Como fazer uma campanha de sucesso nas redes sociais?” foi o tema abordado durante o sexto painel, no período da tarde de 25 de novembro, durante a 24ª Conferência da União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale). O conteúdo foi ministrado pela consultora em comunicação política na estratégia parlamentar, Gisele Meter. “É uma grande honra estar aqui e fazer parte desta história. Vamos abordar o que as pessoas devem esperar no mundo pós-pandêmico e é justamente a aproximação digital. Mais do que nunca os parlamentares precisam saber como se comunicar com o digital”, salientou.

Com a proximidade do período eleitoral, a consultora explanou aos assessores e parlamentares que é necessário escolher cinco palavras para se começar a trabalhar estrategicamente os mandatos. “Os políticos devem se preocupar com o conteúdo de suas publicações e a equipe deve agregar todo o público das mídias sociais. Quero destacar que é preciso também humanizar esse conteúdo, ou seja, mostrar exatamente como você é. Se as pessoas te verem de outro jeito que não seja igual na rede social, elas deixam de gostar e de te seguir”, pontuou.

De acordo com a palestrante, a rede social se chama meta e é exatamente onde as pessoas vão ter identidade e criar a marca política. “Para esta eleição vamos trabalhar isso e sugiro que comecem a criar identidade digital e essa marca política. O parlamentar precisa olhar sua rede social e gostar do conteúdo ali postado. Assim a equipe terá um alinhamento e toda essa reputação vai gerar confiança na sua marca política”, disse.

Gisele Meter explica que comunicação política tem que ser séria mas não precisa ser chata. Para uma campanha de sucesso é necessário construir três passos por meio da Estratégia APD (Audiência, Propósito e Distribuição). “Essa estratégia digital de campanha é imbatível. Primeiramente, em relação à Audiência, é necessário saber o propósito do seu público, do seu post e também distribuir os pontos de contato. Você precisa saber com quem você fala, pois não conseguimos falar com todos porque temos uma infinidade de outras coisas. Precisamos saber para quem, para quantas pessoas, onde e como falamos. Comecem a ouvir as pessoas. Lembrando que elas não têm paciência de acompanhar um vídeo de mais de 2 minutos nas redes socias”, sugere.

Em relação ao Propósito ela destaca que é muito importante alcançar essa meta de ter um propósito, senão serão cometidos erros em todo o conteúdo. “E não tem como se errar um conteúdo político. Mostre realmente o que você faz e como pode mudar a vida das pessoas”, acrescentou a ministrante. Ela complementa que as pessoas precisam repetir o conteúdo, falar mais de uma vez. “Vocês precisam falar várias vezes para as pessoas guardarem em suas memórias”.

A consultora em comunicação política na estratégia parlamentar questiona aos participantes: “Vale a pena ainda postar no facebook? Vale sim, não o abandonem porque as cidades menores utilizam muito essa mídia social. O instagram é a rede que mais faz fama mas se você quer que as pessoas vejam é facebook”, argumentou.

Finalizando a questão da estratégia, de acordo com a profissional, a Distribuição é o crescimento por meio dos anúncios. “A equipe precisa saber como construir o público e aumentar o alcance de suas mensagens. Desta forma, é possível aumentar esse público e mostrar relatórios”, enfatizou.

Abordando a questão da reputação, Gisele enfatiza que está ligada à confiança e relacionada com a imagem trazendo conexão, identificação e proximidade. “Aquela foto da família vai gerar conexão e mostrar seriedade do parlamentar. A autoridade do político vai gerar a representatividade, a competência e ainda vai mostrar a força e o poder de articulação. A autoridade precisa ser vista porque as pessoas precisam sentir esse equilíbrio entre imagem e a autoridade”, alegou.

Outro ponto destacado pela palestrante é a influência do parlamentar. “Não adianta ter muitos likes se você não mobiliza as pessoas. Veja quantos seguidores você conquistou depois de publicar algo e compare. Vocês pedem voto, agora peçam também para as pessoas entrarem nas listas de transmissões que precisa urgentemente ser criadas”, citou.

Antes das eleições Gisele Meter sinaliza que é necessário mostrar para as pessoas qual é a marca do político. “Como as pessoas vão te ver antes das eleições? É preciso ter esse relacionamento com elas e mostrar a autoridade de vocês, sempre acompanhando os números. E em relação a equipe de comunicação é preciso ter hierarquia. A gestão precisa ter organização e análise e cada conteúdo tem sua função”.

Finalizando a participação na conferência, a profissional assinalou o uso das mídias sociais pelos parlamentares. “Os políticos estão redesenhando e buscando um conhecimento maior, pois querem se comunicar com o cidadão. É evidente que precisa de uma narrativa mais rápida, mas acredito que estão no caminho certo. A melhor forma de dominar essa ferramenta é conhecer a pessoa com que você está trabalhando. Não é simplesmente postar algo, é saber o que postar e estabelecer pontos de contato com o cidadão”, complementou a palestrante. O painel foi mediado pelo jornalista Ogg Ibrahim.

Programação

Durante a tarde, foram abordados por especialistas e autoridades outros importantes temas relacionados à atuação das Casas Legislativas. No painel 4, o assunto foi "Cenários e Tendências Econômicas", apresentado pelo economista Alexandre Schwartsman. No painel 7, com o tema "Código eleitoral: Principais alterações e como podem impactar nas campanhas", os painelistas foram o Prof. Dr. Walber Agra, Procurador do Estado de Pernambuco e especialista em Direito Eleitoral, e o Ministro Edson Fachin, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). 

Esses conteúdos podem ser vistos e revistos no Facebook da ALEMS.

(Com texto de Aline Kraemer, produzido para a Unale)

Permitida a reprodução do texto, desde que contenha a assinatura Agência ALEMS.
Crédito obrigatório para as fotografias, no formato Nome do fotógrafo/ALEMS.