Brasão da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul

Delegada faz apelo para que sociedade não se cale diante da violência contra mulher

Imagem: Delegada Joilce Ramos, titular da Deam, usou a tribuna para falar sobre a violência contra a mulher no Estado
Delegada Joilce Ramos, titular da Deam, usou a tribuna para falar sobre a violência contra a mulher no Estado
06/06/2019 - 12:15 Por: Heloíse Gimenes   Foto: Luciana Nassar

Dezesseis casos de feminicídio foram registrados somente neste ano em Mato Grosso do Sul. A informação foi repassada pela delegada Joilce Silveira Ramos, titular da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam), que participou da sessão ordinária desta quinta-feira (6). Na tribuna, ela fez um apelo para que a sociedade denuncie a violência contra as mulheres.

“O Estado e a Assembleia Legislativa estão cumprindo seu papel. Observamos que o problema está no empenho da sociedade. Infelizmente, as pessoas ainda acreditam que em briga de marido e mulher não se mete a colher. É justamente ao contrário, não podemos ficar inertes, as vítimas precisam de socorro sim. Muitas mortes seriam evitadas se tivessem avisado a polícia”, afirmou.

A delegada relatou ainda como funciona a Casa da Mulher Brasileira, que oferece serviços integrados, como acolhimento, apoio psicossocial, delegacia especializada, Promotoria de Justiça, encaminhamentos ao mercado de trabalho, alojamento e abrigo.

“Os índices são alarmantes. Somente em Campo Grande foram registrados mais de 600 boletins de ocorrência de violência doméstica. São mulheres que suportaram todo tipo de agressão até obter coragem e romper o silêncio. O atendimento na Casa da Mulher Brasileira é humanizado e voltado para proteger a vida dessas mulheres”, relatou.

Ainda segundo a delegada, as denúncias aumentam a cada mês devido ao trabalho preventivo realizado pelo Poder Público. “Outro fator é o encorajamento que as vítimas dão para outras mulheres que sofrem agressão. Elas testemunham como é o atendimento na Casa da Mulher Brasileira e o resultado rápido. Com isso, elas propagam a importância de denunciar”.

Permitida a reprodução , desde que contenha a assinatura "Agência ALMS".
Crédito obrigatório para as fotografias, no formato "Nome do fotógrafo/ALMS".