Brasão da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul
ALEMS no combate ao Coronavírus

Ler é Viver aborda livros de terror e a autobiografia do músico B.B. King

Imagem: Programa pode ser assistido por meio do canal da ALEMS no Youtube
Programa pode ser assistido por meio do canal da ALEMS no Youtube
15/07/2020 - 13:01 Por: João Grilo   Foto: Divulgação TV ALEMS

Se você é fã de filmes de terror e também curte o blues de B.B. King, não perca o ‘Ler é Viver’ que estreia neste domingo (19), às 12h, na grade de programação da TV ALEMS. A produtora cinematográfica Larissa Anzoategui, diretora de filmes de terror, vai dar dicas de livros que te farão compreender mais sobre esse gênero cinematográfico, e no quadro ‘Inspira, não Pira!”, o músico campo-grandense Luis Henrique Ávila, que atualmente mora em Londres, na Inglaterra, conta como está o cenário lá diante do coronavírus, canta e destaca a autobiografia do ‘Rei do Blues’ e a teoria musical do músico e escritor já falecido Almir Chediak, bastante cultuada por artistas renomados da música brasileira.

Artista visual formada pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Larissa Anzoategui dirige filmes de terror desde quando apresentou o documentário ‘Zumbis do Espaço de Lá’ como trabalho de conclusão de curso. Essa produção, inclusive, foi inclusa em 2008 na edição comemorativa de dez anos do média-metragem ‘Zombio’, dirigido pelo cineasta catarinense Petter Baiestorf, persona cult no universo do cinema de horror.

Entre os sete curtas dirigidos por Larissa se destaca ‘Red Hookers’, de 2012, que participou da edição 2014 do HP Lovecraft Film Festival, em Portland, nos Estados Unidos. Seu primeiro longa, ‘Astaroth’ (leia-se Astaróf), de 2017, conquistou segundo lugar na escolha de audiência do 4º Festival Boca do Inferno, realizado em São Paulo (SP), e ainda foi exibido em outros festivais renomados do gênero de terror como o ‘Montevideo Fantástico Uruguai’, conseguindo a proeza de ser inserido no serviço de streaming da Amazon Prime.


Entrevistas podem ser conferidas a partir de domingo (19)

Larissa, que também é professora de artes de uma escola municipal de Campo Grande, mantém a produtora ‘Astaroth Produções’ em sociedade com o marido Ramiro Giroldo, roteirista, e Pedro Rosa, diretor de fotografia. No programa ela fala sobre os livros ‘O Horror Sobrenatural em Literatura’, escrito por Howard Phillips Lovecraft, e ‘Dança Macabra’, de Stephen King.

Único livro não ficcional de Howard Phillips Lovecraft, escritor norte-americano que revolucionou as histórias de terror na primeira metade do século 20, ‘O Horror Sobrenatural em Literatura’ reúne informações sobre seu ofício, que influenciou vários autores contemporâneos desse gênero. A obra mais famosa de Lovecraft é a coletânea de contos “Histórias de Horror – O Mito de Cthulhu”, organizada por Martin Claret; nessa publicação, a terra é alvo de disputa entre seres humanos e uma organização secreta formada por alienígenas.

Já no livro ‘Dança Macabra’, o escritor Stephen King, considerado o ‘mestre do terror’, guia o leitor a uma jornada pelas mais variadas formas do medo. Nele, o autor revela o fascínio causado pelo terror no cinema e na literatura, sem deixar de fora os quadrinhos, a televisão e o rádio. É a segunda indicação de Larissa.

Inspira, não pira!

O quadro ‘Inspira, não pira!’ traz a história inspiradora do músico Luis Henrique Ávila, guitarrista e cantor de blues, que mora em Londres, que num dia de quarentena decidiu pegar cubo, microfone e cantou a canção ‘Three Little Birds’, de Bob Marley, que fala a respeito de esperança. A atitude movimentou algumas redes sociais.

Em sua participação no ‘Ler é Viver’, Luis indica dois livros: ‘B.B. King – Uma Vida de Blues’, escrito pelo próprio artista, já falecido, em parceria com David Ritz, autor americano de romances, biografias, artigos de revistas e mais de cem anotações para artistas como Aretha Franklin, Ray Charles e Nat King Cole, e ‘Harmonia e Improvisação’, de Almir Chediak, produtor musical, empresário, violonista, compositor, editor, professor, escritor, e pesquisador brasileiro já falecido; essa obra é elogiada por artistas, como Gilberto Gil, Gal Costa, João Gilberto, Caetano Veloso, Ivan Lins, entre outros.

Ler é Viver 

A literatura é uma arte que enriquece a cultura e transforma vidas, além de levar o leitor a viajar por diversos universos. Valorizar a leitura e divulgar ações que dignificam a arte literária são os principais objetivos do programa Ler é Viver. Após a estreia desta edição com Larissa Anzoategui, o programa será exibido na grade de programação da TV Assembleia aos domingos, às 12h; segundas às 8h e sextas às 18h. A TV Assembleia de Mato Grosso do Sul pode ser assistida no YouTube ou no site www.al.ms.gov.br/tvassembleia. Esta edição do Ler é Viver também pode ser conferida no canal do Youtube da Casa de Leis.

Permitida a reprodução do texto, desde que contenha a assinatura Agência ALEMS.
Crédito obrigatório para as fotografias, no formato Nome do fotógrafo/ALEMS.