Brasão da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul
ALEMS no combate ao Coronavírus

Vida Saudável fala de método que aborda corpo, mente e espírito para reabilitação física

Imagem: Segundo a profissional, as queixas das mulheres são dores nos ombros e no pescoço, por conta de estarem sobrecarregadas
Segundo a profissional, as queixas das mulheres são dores nos ombros e no pescoço, por conta de estarem sobrecarregadas
27/09/2021 - 08:05 Por: Lilian Veron   Foto: Arquivo pessoal

Entender o ser humano como corpo, mente e espírito é o objetivo do Método Samorai 3D, tema do programa Vida Saudável dessa semana. Para falar do assunto, a entrevistada é a educadora física, Síntia Peralta, formada pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul(UFMS). Desde o início da vida profissional, Síntia esteve ligada à reabilitação e após 15 anos de atuação como personal e uma “pausa” para maternidade, Síntia retomoua carreira. 

Ela conta que foi justamente na pandemia, quando a maioria das pessoas foi obrigada a ficar em casa, que refletiu e decidiu que era hora de voltar a estudar. Pelainternet conheceu o treinador Samorai, do Instituto de Performance Samorai de São Paulo e a Terapia Tensitiva, trazendo para Campo Grande essa nova abordagem. 

De acordo com a educadora física, o corpo fala através da dor, uma queixa física tem também suas causas emocionais. O que pode ser observado no dia-a-dia, por exemplo, a maneira como se caminha quando está alegre ou triste. Ficar com a cabeça baixa por ser tímido. “Tudo tem uma causa, uma história, por isso é importante olhar não apenas o corpo, mas as emoções”, observa. 

Um dos casos que Síntia exemplifica são as queixas das mulheres com dores nos ombros e no pescoço, por conta de estarem, quase sempre, sobrecarregadas. “O importante é aprender a distribuir o peso, delegar e isso serve para a vida e o corpo. Delegar as funções do dia-a-dia e delegar também o peso físico para que não fique apenas nos ombros, vá para as pernas, os pés”, explica. 

O método considera também as individualidades e que cada um tem o seu caminho. “Não dá para padronizar, um mesmo exercício para todos os casos. Eu sempre digo que é assim, no final de tudo é sempre uma evolução espiritual. Você escolhe seu caminho, seja no yoga, na caminhada, no karatê. O importante é evoluir em corpo, mente e espírito”, concluiu.  

Para ouvir o programa, clique aqui

 

 

Permitida a reprodução do texto, desde que contenha a assinatura Agência ALEMS.
Crédito obrigatório para as fotografias, no formato Nome do fotógrafo/ALEMS.