Brasão da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul Brasão da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul

Deputado Evander Vendramini apresenta projeto de lei para equipar PMA com drones

Imagem: A Lei irá facilitar o trabalho dos policiais ambientais na fiscalização de infrações ou crimes ambientais, desmatamentos ou incêndios, nas áreas de atuação da PMA
A Lei irá facilitar o trabalho dos policiais ambientais na fiscalização de infrações ou crimes ambientais, desmatamentos ou incêndios, nas áreas de atuação da PMA
08/08/2019 - 11:49 Por: Adriana Viana   Foto: Adriana Viana

Na sessão parlamentar desta quinta-feira, 8, o deputado estadual Evander Vendramini (PP) apresentou projeto de lei autorizando a Polícia Militar Ambiental do Estado de Mato Grosso do Sul a utilizar veículo aéreo não tripulado, conhecido como drone, para fiscalizar e executar suas atividades. O objetivo do PL é propiciar uma nova e mais eficaz forma de proteção, fiscalização e monitoramento das extensas áreas ambientais pela Polícia Militar Ambiental, bem como auxiliar o Corpo de Bombeiros Militar na atuação e proteção contra incêndios florestais.

Conforme Evander, se aprovada, a Lei irá facilitar o trabalho dos policiais ambientais na fiscalização de infrações ou crimes ambientais, desmatamentos ou incêndios, nas áreas de atuação da PMA. “Com o uso dos drones, os policiais poderão alcançar lugares mais remotos e de difícil acesso, ampliando a área de atuação, haja vista que o efetivo não é suficiente. Por exemplo, na região pantaneira, que envolve Corumbá, Ladário, Coxim e outros municípios, em uma extensão territorial maior de que muitos países, nós contamos apenas com 20 policiais e algumas lanchas”, apontou o autor do projeto.

O parlamentar salientou ainda a questão da segurança dos policiais militares ambientais. “Os policiais ficam expostos em seu trabalho quando se deparam com alguma infração ou crime, colocando, muitas vezes, suas vidas em risco. Por isso, toda ferramenta que venha facilitar e dar melhores condições a esses profissionais da segurança pública é importante”, finalizou.

Agora o Projeto de Lei será encaminhado à Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) e às comissões de mérito e votado em plenário.

As matérias no espaço destinado à Assessoria dos Parlamentares são de inteira responsabilidade dos gabinetes dos deputados.