Brasão da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul Brasão da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul

Após pedir prorrogação do Refis ao TCE, Gerson Claro comemora alterações na lei

Imagem: Gerson e o presidente do TCE, Iran Coelho das Neves
Gerson e o presidente do TCE, Iran Coelho das Neves
06/11/2019 - 15:44 Por: Fernanda Fortuna   Foto: Carlos Godoy

O deputado estadual Gerson Claro (PP) comemorou hoje (6) o Projeto de Lei Complementar 449/2019, enviado à Assembleia Legislativa pelo TCE (Tribunal de Contas do Estado), que altera as regras do FUNTC (Fundo Especial de Desenvolvimento, Modernização e Aperfeiçoamento) e traz facilidades para quitar dívidas e multas junto ao órgão.

Gerson enviou no dia 16 e abril deste ano requerimento à corte solicitando prorrogação do prazo de adesão ao Refis.

Ele esteve com o presidente do TCE, Iran Coelho das Neves, com quem falou sobre as mudanças na lei que facilitarão o pagamento de débitos por parte de prefeituras e órgãos públicos inadimplentes.

“Sem dúvidas, o aperfeiçoamento do Programa de Recuperação Fiscal vai não apenas facilitar a vida daqueles que desejam quitar seus débitos, mas também melhorar a arrecadação e gestão do fundo”, comentou o parlamentar.

Na prática, o Projeto de Lei Complementar enviado à Assembleia Legislativa disciplina o recolhimento e o parcelamento dos valores de multas devidos ao FUNTC.

A proposta prevê a redução de multas para aqueles que pagarem suas dívidas de forma antecipada e institui o parcelamento dos débitos em até 60 vezes. A primeira parcela representará 10% do valor devido e as outras deverão ter valor mínimo equivalente a duas UFERMS (R$ 28,77).

Processos de multas também poderão ser agrupados a pedido do devedor, visando economia de meios administrativos e despesas de cobranças judiciais.

Outra mudança prevista é a conversão das multas para reais, antes pagas em UFERMS, o que deve facilitar o pagamento das dívidas e aumentar o recolhimento previsto com o REFIS.

“Outra coisa boa é a redução de multas para quem quiser fazer o parcelamento dos débitos”, observou Gerson Claro, ao comentar o teor da proposta.

O Projeto de Lei Complementar passará nos próximos dias pelas comissões temáticas da Assembleia Legislativa antes de ser votado em plenário.

As matérias no espaço destinado à Assessoria dos Parlamentares são de inteira responsabilidade dos gabinetes dos deputados.